Periodontia

Periodontia é o tratamento realizado para a cura de processos inflamatórios e infecciosos da gengiva, tecido que reveste o osso e que dá a sustentação aos dentes. Costuma ser indicado para aqueles que não fazem a higienização correta da boca.

Os profissionais, entretanto, também afirmam que o fumo, a tensão, a baixa imunidade e hábitos alimentares equivocados também contribuem para a fragilização da gengiva.

Gengivite é moderadamente fácil de tratar quando detectada rapidamente. A abordagem começa com uma avaliação com o seu dentista para realizar uma cuidadosa profilaxia, a fim de retirar a placa e o tártaro. A placa é um acúmulo de bactérias que se forma continuamente sobre os dentes e no contato com a gengiva, ocorre com a presença da saliva, alimentos e líquidos sobre os dentes. Já o tártaro é um depósito mineral endurecido que recobre os dentes quando se concentra placa durante um longo período.

Quando a gengivite não é tratada ou quando o tratamento é prorrogado a infecção e a inflamação migram das gengivas para os tecidos q suportam os dentes, ou seja, os ligamentos e o osso. A perda de suporte faz com que os dentes apresentem mobilidade e, em muitos casos, acabem simplesmente caindo, fenômeno esse conhecido como periodontite. A periodontite é a doença da boca q mais causa perda de dentes.

Quais são os sintomas mais comuns?

Mau hálito;
Presença de aftas;
Tártaro;
Sangramento durante a escovação;
Mobilidade dos dentes;
Pus entre gengiva e dente;
Gengiva vermelha, etc.

Como o diagnóstico é feito?

Pode ser feito pelo dentista clínico geral que, após avaliação, encaminha para o especialista em periodontia.

O especialista irá realizar uma avaliação mais específica e solicitar alguns exames radiográficos.

Como é realizado o tratamento?

A prevenção é a melhor opção para não ter que iniciar um tratamento de periodontia.

Mas quando ocorre, o tratamento da periodontite visa à redução da inflamação por meio da eliminação dos agentes infecciosos e dos espaços entre gengiva e dente (se existir). É importante a avaliação da saúde geral do paciente, pois algumas doenças ou distúrbios podem estar relacionados com a presença da periodontite.

Em casos mais avançados ou de difícil acesso pode ser necessária uma abordagem cirúrgica. Espaços profundos nas gengivas podem precisar ser limpos por meio de um acesso cirúrgico. Dentes com mobilidade podem precisar de fixação.

E quem não faz o tratamento adequado?

De qualquer forma, é importante esclarecer que é muito importante fazer o tratamento.

Aqueles que têm a periodontite e não se cuidam podem sofrer graves consequências. Entre elas estão a perda dos dentes e do osso alveolar (sustentação dos dentes).

Como evitar a periodontite?

Uma higiene bucal adequada é a primeira dica dos especialistas, por meio do uso de escova, pasta e fio dental após as refeições.

O enxaguante bucal também é recomendável em virtude de sua ação germicida e bactericida.

As visitas ao dentista a cada 6 meses é essencial para manter a saúde bucal em dia.

E, por fim, diga não ao cigarro. O tabaco promove alterações no sistema imunológico da gengiva, permitindo o acesso mais fácil de bactérias.

Quais os resultados do tratamento, mesmo que tardio?

Não importa a causa do ranger, o restabelecimento da harmonia da mordida reduz a intensidade da dor e diminui o hábito de ranger os dentes. Usar placa de mordida é uma maneira de proporcionar um espaçamento forçado entre a maxila e a mandíbula. Relaxando a musculatura e aliviando a dor.

Algumas Recomendações:

Consulte o dentista com regularidade;
Evite apertar os dentes, quando estiver empenhado em uma tarefa ou situação mais complicada;
Procure não mascar chicletes ou mordiscar sistematicamente objetos duros, como pontas de lápis e canetas, por exemplo;
Faça exercícios. A prática regular de atividade física ajuda a controlar o estresse e as crises de ansiedade que podem favorecer o apertar dos dentes;
Não se esqueça de colocar a placa interoclusal antes de dormir. Se o problema se manifestar também de dia, use-a sempre que possível.