Ortodontia e Ortopedia Facial

A Ortodontia visa ao correto posicionamento dos dentes, proporcionando melhor expressividade ao sorriso. Atende crianças, adolescentes e adultos, fazendo uso de aparelhos fixos ou removíveis. A Ortopedia Facial é aplicada durante o desenvolvimento ósseo e sua estrutura, sendo indicada para crianças e adolescentes, sempre respeitando a biologia facial. Busca o bom relacionamento dos ossos da face (maxila e mandíbula), proporcionando melhor oclusão e equilíbrio facial.

O tratamento ortodôntico é bastante específico a cada paciente, portanto, não apresenta idade absoluta para seu início ou término. Por outro lado, indica-se que a criança tenha seu primeiro atendimento com esse especialista por volta dos quatro ou cinco anos de idade.

São diversos e notórios os benefícios que o tratamento ortodôntico proporciona ao paciente, por exemplo:
Sorriso mais harmonioso, alinhado e bonito;
Oclusão balanceada (mordida correta) – relação da maxila com a mandíbula;
Melhoria da qualidade do sono e, consequentemente, da qualidade de vida;
Melhoria da postura do indivíduo. A mordida tem relação direta com o arranjo postural;
Recuperação e aumento da autoestima. Já notou que muitas pessoas se sentem constrangidas ao sorrir ou mesmo em conversar? E que em momentos evitam ou escondem seu sorriso? Na maior parte dos casos, isso ocorre por conta do errado posicionamento dos dentes;
Eliminação de apinhamentos dentários (“dentes encavalados”) que dificultam muito a higienização oral, acarretando o acúmulo de tártaro e facilitando o aparecimento de cáries e doenças gengivais, além de comprometerem o aspecto visual do sorriso;
Eliminação de interferências da mordida que podem ser causadoras de dores de cabeça, bruxismo (hábito de ranger os dentes durante o sono), reabsorções de osso e gengiva na região cervical (face de encontro do dente com a gengiva) que provocam sensibilidade nos dentes;
Eliminação de mordida aberta e/ou cruzada, além de mordidas com queixo para frente (prognata) e queixo para trás (retrognata), exemplos de má oclusão;
Resolução da disfunção da ATM (Articulação Temporo-Mandibular), o que provoca dores de cabeça constantes, estalos ao abrir e fechar a boca;
Trabalho integrado com outras especialidades odontológicas e médicas, como: Implantodontia, Periodontia, Prótese e Cirurgia Buco-Maxilo (exemplo de procedimento: cirurgia ortognática), Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia.

 

A seguir, vamos ilustrar situações bastante frequentes:

A partir de que idade a criança pode ser levada ao ortodontista?

Lembrando: o tratamento ortodôntico é bastante específico a cada paciente, portanto, não apresenta idade absoluta para seu início. Por outro lado, indica-se que a criança tenha seu primeiro atendimento com esse especialista por volta dos quatro ou cinco anos de idade.

Os pais e responsáveis assumem papel importantíssimo ao procurarem um ortodontista já durante o pré-natal, a fim de receber orientações sobre amamentação e outros assuntos importantes.

Durante o crescimento, a criança deve ser consultada periodicamente para que seja detectado precocemente qualquer interferência ao bom desenvolvimento. Muitas vezes o ortodontista não irá atuar diretamente sobre o problema, mas poderá indicar a necessidade de acompanhamento por parte do médico otorrino, no caso de uma respiração bucal ou o acompanhamento de uma fonoaudióloga no caso de uma deglutição atípica ou interposição de língua, por exemplo.

Em relação ao mau posicionamento dentário, existe alguma coisa que os pais ou responsáveis possam fazer preventivamente?

A resposta é: sim!

Desde o nascimento, a criança deve receber uma atenção especial no sentido de prevenir uma má-oclusão (“mordida errada”) estética e estruturalmente.

A primeira atividade de função muito importante é amamentação, atividade esta que acontece por instinto e fornece estímulos importantes ao desenvolvimento geral e craniofacial do bebê. Quando o bebê inicia a sucção do leite, sua respiração acontece obrigatoriamente pelo nariz, ou seja, a via realmente ideal para inspiração e expiração. Esse ar que passa pelas narinas estimula o desenvolvimento do maxilar superior. Ainda durante a sucção, o bebê faz exercícios com a mandíbula, para frente e para trás e movimento ondulatório com a língua para poder beber o leite. Toda essa dinâmica direciona o bom desenvolvimento dos maxilares.

O segundo ponto importante é quando as crianças passam a utilizar a mamadeira. Normalmente, as mães procuram bicos de mamadeiras que possuam um orifício grande. O ideal é respeitar a proposta do exercício natural de amamentação e dar continuidade a ele, mesmo que a criança já tenha deixado de se alimentar diretamente no seio materno. Portanto, o orifício da mamadeira deve ser pequeno para exigir que a criança realize a sucção corretamente. Gradativamente, a mamadeira deve ser substituída por alimentos pastosos e, depois, por alimentos sólidos para incentivar a criança a realizar o movimento da mastigação, sempre acompanhando as condições de alimentação da criança.

Cabe aqui ressaltar alguns hábitos a serem evitados, a fim de não prejudicar o desenvolvimento da craniofacial, ou seja, relação maxilomandibular. Exemplos: chupar o dedo, fazer uso exagerado e de modelos inadequados de chupeta, uso de mamadeiras com bicos de formato e orifício inadequados, dentre outros fatores que devem ser avaliados e orientados pelo especialista.

Até que idade pode ser usado o aparelho ortodôntico?

Seguindo a premissa de que o tratamento ortodôntico é bastante específico a cada paciente, não apresenta idade absoluta para seu término, variando de indivíduo a indivíduo, principalmente em casos de reabilitação oral, ou seja, quando é necessário reorganizar e reposicionar melhor os elementos dentários e ganhar espaços para a colocação de próteses.

Como acontece o tratamento ortodôntico integrado a outras especialidades?

O corpo humano é um sistema único! Por isso, a importância de ter uma equipe competente e integrada para estudar a melhor proposta de tratamento odontológico.

Alguns exemplos de situações em que a Ortodontia exerce função coadjuvante para diagnóstico e planejamento de tratamento são:
Reabilitação protética com o reposicionamento dos dentes, a fim de favorecer a colocação de próteses e implantes, seja abrindo mais espaço entre os dentes ou colocando-os de maneira a não ficarem com espaço exagerado;
Realização de cirurgia ortognática;
Otorrinolaringologia;
Fonoaudiologia.

Gosto de praticar esportes! O aparelho ortodôntico pode me impedir de praticar algum tipo de esporte?

Muitos pacientes nos trazem a seguinte situação: “Eu quero cuidar do meu sorriso, alinhar os meus dentes, mas pratico esportes e me pergunto sobre a questão da segurança durante o tratamento. Há alguma solução?” Para esses pacientes que praticam alguma modalidade esportiva, tanto por hobby quanto profissionalmente, temos solução também! Indicamos o tratamento ortodôntico realizado com a tecnologia Invisalign®, assim, é possível conquistar o sorriso desejado sem abrir mão das atividades esportivas.

O tratamento Invisalign® consiste no sistema personalizado de alinhadores estéticos transparentes confeccionados a partir de escaneamento dentário e planejamento digital. O fator segurança é muito importante para esses pacientes.