Cirurgia Oral (Extração de Sisos)

O terceiro molar, popularmente conhecido como siso, é o último dente a nascer por volta dos 18 anos. Por esta razão, muitas vezes ele não consegue erupcionar por falta de espaço, por algum obstáculo mecânico, por alguma patologia, por alguma doença sistêmica ou por simples má posição dos outros dentes. Nesses casos, sua remoção é indicada por meio de uma cirurgia.

Por estar localizado bem ao fundo da arcada dentária, sua higienização é bem dificultada, principalmente quando está semierupcionado, dessa forma a probabilidade de cáries é maior. Além disso, podem surgir outros problemas, como pericoronarite, que é a inflamação da gengiva ao redor do siso, e outros mais graves, como reabsorção da raiz do segundo molar. Essa reabsorção pode levar a perda do dente, devido ao mau posicionamento, que ocorre principalmente em dentes inclusos. Em tratamentos ortodônticos é muito comum a indicação da extração do siso.

Se o siso nascer, é necessário extrair?

Nem sempre, algumas pessoas tem espaço suficiente na mandíbula para os 4 dentes “extras”, e dessa forma não causam nenhuma alteração na mordida.

E se não extrair?

Em geral, os dentes do siso costumam doer por não haver espaço para se alinhar à mandíbula. Eles também costumam empurrar os demais dentes, prejudicando a mordida e a estética da boca. Mas se houver espaço suficiente para eles, nada precisa ser feito.